Alinde Odontologia

Bruxismo: combata o problema!

07 de janeiro de 2019

Você já se pegou apertando ou rangendo os dentes, as vezes até durante o dia? Já reclamaram que você faz muito barulho com os dentes quando está dormindo? Se sua resposta for sim para pelo menos uma dessas perguntas, você pode ter bruxismo.

O bruxismo é uma desordem funcional que envolve ranger ou apertar dos dentes durante a noite, que caracteriza um distúrbio do sono, ou mesmo durante o dia, caracterizando um hábito parafuncional. A queixa mais comum do paciente, e muitas vezes do companheiro de quarto, é o barulho que se faz com os dentes durante o sono: o companheiro acorda com o barulho, e o paciente acorda com a boca “travada”. Porém, outros sinais, que são consequências do bruxismo, podem levantar a suspeita da sua presença, como o desgaste, fratura e amolecimento dos dentes, dores de cabeça, sensação de dor e zumbido no ouvido, dor no pescoço, na mandíbula e nos músculos da face. Quando persiste, pode gerar até consequências nas articulações temporo mandibulares, como estalos durante a mastigação, e dores cada vez mais frequentes nas articulações.

Para auxiliar na autoavaliação, A Alinde Odontologia discorre sobre causas e tratamento do bruxismo, veja:

Causas

De acordo com dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 40% da população brasileira sofre com o bruxismo. Situações de estresse, tensão e ansiedade são fatores que estão relacionados com o apertamento e ranger dos dentes, por meio de processos de acontecem no nosso cérebro e que caracterizam um distúrbio de movimento do sono que, nesse caso, acomete a mandíbula e músculos relacionados a mastigação. Outras causas podem estar presentes, como fatores genéticos. Hoje em dia, sabe-se que problemas de oclusão dentária tem influência muito pequena sobre a instalação do quadro.

Tratamento

Não se fala sobre cura para o bruxismo, mas sim controle das suas consequências e proteção das estruturas por ele afetadas. Prevenindo-se essas consequências, melhora-se a qualidade de vida, principalmente quando evitamos a instalação de dor. Por se tratar de um problema relacionado a questões emocionais e psicológicas, o ideal é identificar os gatilhos de stress no dia a dia, ou seja, os motivos geradores de tensão, ansiedade e estresse. Por isso, o tratamento deve ser multi-profissional: realização de atividades físicas, tratamento de quadros de ansiedade aguda e depressão, e, em alguns casos, até acompanhamento psicológico devem fazer parte do “pacote” de tratamento.

Diante de uma avaliação, o dentista poderá recomendar o uso de placas de mordida (os dispositivos interoclusais) para proteger os dentes e as articulações. A placa não tem como objetivo fazer o paciente parar de ranger, mas sim evitar desgaste das estruturas. Além disso, podem ser recomendados em consultório exercícios para relaxar os músculos da face durante o dia.

Uma dica importante é fazer uma boa higiene do sono: procure usar seu tempo em casa, à noite, para relaxar, diminuindo a intensidade das luzes conforme se aproxima a hora de dormir. Evite ingestão de cafeína nesse período! Importante também é evitar televisão e uso de outras telas (como tablets e celulares) quando já estiver na cama. Condicione seu cérebro a perceber que seu quarto é espaço de descanso!

Lembre-se: consultar-se com regularidade com seu dentista torna possível o diagnóstico precoce e tratamento desses e outros problemas bucais.